fbpx

Compartilhe este Artigo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A Arcada dentária de Freddie Mercury foi responsável por sua voz poderosa?

Até onde você iria para preservar algo muito valioso para você?

Eu sou a Claudia da Odontologia Integrada Dra Claudia Assis, sempre trazendo informações relevantes sobre odontologia e hoje quero comentar sobre o caso, no mínimo curioso, dos dentes do Freddie Mercury!

Para quem não conhece, Freddie Mercury foi vocalista do Queen, banda britânica de Rock que fez muito sucesso na década de 80. Eu gosto muito das músicas das músicas do Queen e sempre admirei a voz de Freddy Mercury.

Ao assistir o filme Bohemian Rapsody, que conta a trajetória do cantor, fiquei intrigada com uma cena, logo no início, quando ele pede para entrar na Banda Smile, que depois se tornou a banda Queen, substituindo o vocalista que havia saído.

Aliás, o baterista da banda – Roger Taylor – é dentista e nesse momento disse ao Freddie que, com aquele sorriso ele não poderia fazer parte da banda “Smile” – (que significa sorriso em português).

O fato é que Freddie Mercury tinha 36 dentes o que lhe conferia uma arcada proeminente, enquanto um adulto tem 32 dentes que são: 8 incisivos, 4 caninos, 8 pré-molares e 12 molares – o cantor tinha 4 dentes a mais.

Dono de uma voz realmente potente e performances arrebatadoras nos palcos, Freddie era tímido em entrevistas e frequentemente colocava a mão na frente da boca quando sorria, pois tinha vergonha de seu sorriso.

Mesmo assim, ele nunca quis se submeter à um tratamento ortodôntico ou fazer a extração dos dentes excedentes para corrigir e obter um sorriso mais harmonioso, pois tinha medo de que isso pudesse afetar sua maneira de cantar, tanto na voz como na articulação das palavras.

Cientificamente não temos como comprovar que sua arcada dentária peculiar era de fato responsável por sua brilhante voz, pois se isso fosse de fato comprovado, teríamos filas de pacientes querendo implantar dentes para obter melhor alcance vocal, não é mesmo?

Do ponto de vista da Odontologia, se torna possível imaginar que alguns problemas poderiam surgir, além da questão estética, pois a estrutura do complexo craniofacial precisa estar de acordo com a quantidade de dentes que possuímos, por isso considera-se normal ter 32 dentes na fase adulta.

Por outro lado, sabemos que o conjunto craniofacial interfere na ressonância da voz e na articulação das palavras, portanto, pesquisei em artigos de colegas fonoaudiólogos e encontrei fortes indícios de que isso é possível e vou compartilhar com você.

Num artigo escrito para o Correio Brasiliense, a Doutora Claudia Pacheco, fonoaudióloga, especialista em voz – explica que a prega vocal, também conhecida como corda vocal, gera o primeiro sinal sonoro que, em forma de ondas, é transmitido para o trato vocal, composto também pelos espaços de ressonância, ou seja, a boca e as cavidades nasais.

Esses espaços têm a função de amplificar ou abafar a voz.

Para ficar mais fácil de compreender e como o assunto de hoje está bem musical, podemos fazer uma analogia com o violão, no qual as cordas vibram e a caixa reverbera. O tamanho da caixa do violão está intimamente ligado ao som que ele produz.

No caso em questão, Freddie Mercury tinha uma caixa acústica mais ampla que o normal para abrigar seus 4 dentes excedentes.

Mas agora falando como fã e admiradora desse incrível artista, não acredito que possamos creditar em sua arcada dentária, os méritos que adquiriu ao longo de sua carreira. ainda que nada tenha sido de fato comprovado.

O que me ficou claro neste caso foi a capacidade que ele teve de aplicar na vida a famosa frase: “Quando a vida te dá um limão, faça uma limonada.”

Ao invés de se deprimir ou deixar que esse suposto defeito destruísse sua autoestima, ele encontrou uma maneira de reverter em benefício próprio. Freddie Mercury amava o que fazia e era totalmente comprometido com a profissão de cantor a ponto de se recusar a corrigir os dentes para não ter que reaprender a falar, reaprender a posição da língua e a ressonância do som em sua boca, pois toda correção requer um período de adaptação.

Casos como esse são raros e devem ser corrigidos com cirurgia, aparelho ortodôntico e tratamento fonoaudiológico, mas precisamos lembrar que estamos falando de um caso ocorrido na Inglaterra, entre as décadas de 1970 e 1980. Inclusive vou comentar, em outra oportunidade, sobre a fama dos britânicos terem dentes tortos e amarelados.

Espero que você tenha gostado desse artigo e peço para você curtir e deixar seus comentários pois vem muita coisa boa por aí!

Até o próximo artigo!

Mais a ser explorado

Covid19

COVID19 – Orientações para Agendamento

Nesse momento difícil, estamos monitorando melhor nossos pacientes e melhorando ainda mais a segurança dos nossos atendimentos. Por favor, não estranhe! Nesse momento de pandemia,